Latest

Sofrer de excesso de peso não é um capricho, é a conseqüência de ser sedentário e do consumo contínuo de alimentos processados e alimentos com grandes quantidades de triglicerídeos. Neste artigo falaremos sobre os alimentos proibidos para o emagrecimento.


Além de fazer muito mal para a saúde esses alimentos eles também prejudicam sua pele, portante além das dicas aqui que estou postando, te recomendo que você faça o uso de COLASTRINA.

Alimentos proibidos para emagrecer

Os hambúrgueres e frituras apresentam grandes quantidades de gordura


É possível que não lhes prestes atenção, ou que confies em quem alimentos denominados “produtos ” light“, já que você acha que são suficientemente leves para não ter grandes consequências em sua figura. Mas, na realidade, para a sua elaboração, é utilizada uma grande quantidade de aditivos, razão pela qual não é nada conveniente em realidade.


Por isso, em seguida, damos-lhe a conhecer quais são os alimentos proibidos para emagrecer para assim evitá-los, se quiser manter um ventre liso e saudável.


Refrigerantes


Hoje em dia todos nós já vimos publicidade acerca de refrigerantes, e até mesmo nós sabemos a grande maioria das marcas internacionais que têm sido toda uma tradição desde que temos memória. No entanto, o seu consumo é pouco recomendável.


O problema é que esta bebida contém dois elementos extremamente prejudiciais para a figura: gás e açúcar. O primeiro, colabora para que o estômago se enche. O segundo, aumenta as calorias, isso inclui as versões light. Em vez de tentar estas bebidas, você pode optar por sucos naturais.


Guloseimas e petiscos


É muito fácil hoje em dia o acesso a esses alimentos proibidos para emagrecer, assim, hoje, são muitos os que, em um momento de ansiedade ou tédio, podem incorrer em guloseimas e petiscos devido a seu baixo custo e bom gosto. E, se bem não é errado tentar algo doce de vez em quando, chega a ser prejudicial fazê-lo costume.


O açúcar chega a aumentar o colesterol e tende a causar hiperatividade. Tendo como conseqüência o aumento de gorduras no organismo, e as chances de sofrer problemas cardíacos.


Maionese e óleos polinsaturados


Ambos os temperos também se incluem entre os alimentos proibidos para emagrecer, ainda são utilizados diariamente nas refeições, mas seu uso excessivo trabalha profundamente na formação de gorduras no organismo. Pode ser que te digam que são dietéticas, porém ainda assim, contém grande quantidade de materiais graxos.


Por outro lado, uma grande maioria dos óleos que compramos no supermercado, como os de milho ou soja, têm uma estrutura complexa que se favorece a oxidação e o colesterol. A freqüência em que deve ser usado ao cozinhar, não é nada saudável. É preferível usar o óleo de oliva, devido a que é monoinsturado.


Carnes de muito conteúdo gorduroso


As carnes vermelhas são outro fator que contribui para a sofrer de excesso de peso. Mas, não se limita a este tipo de carnes, já que está vinculado, principalmente, à grande quantidade de gordura que possui. Os produtos obtidos a partir da carne de porco, ou os enchidos são produtos que se consomem com freqüência e só nos dão mais colesterol.


Também não se deve deixar de comer carnes, já que o seu consumo nos oferece proteínas, mas deve ser feito na medida justa, e de preferência que seja um corte magro. Ou seja, desprovidas de gordura. As carnes brancas de peixes ou aves, também são uma boa opção com muitas proteínas e vitaminas como o Ômega 3 e 6.

Na atualidade, o colesterol é uma das doenças mais comuns que podemos encontrar, assim, neste artigo falaremos sobre os alimentos bons para o colesterol e por que consumi-los.


Ter hábitos alimentares saudáveis e realizar a prática de exercícios físicos regularmente mantêm-nos com uma taxa de colesterol bom e ruim em perfeito equilíbrio, isto reduz o risco de ter um ataque cardíaco e acidente vascular cerebral (avc) e outras doenças como a doença de Alzheimer.

Alimentos bons para o colesterol

Existem 2 tipos de colesterol, o bom e o mau


Se você sofre desse problema deve saber muito bem que a solução para este mal não são nem serão os comprimidos. Mesmo se você seguir ao pé da letra a receita de seu médico e não tem uma dieta saudável, o colesterol sempre voltará. Mas o que poderia acontecer é o contrário, já que algumas pessoas têm uma alimentação saudável e não têm a necessidade de passar pela farmácia. Em seguida, dar-lhe-emos uma lista de 13 alimentos bons para o colesterol, sem, é claro, abrir mão de comer bem.


Peixe


São uma excelente fonte de ácidos graxos Omega 3, um tipo de gordura insaturada muito boa para o organismo e que esta presente em peixes de água fria como o salmão, atum e truta. Muitos dos alimentos bons para o colesterol possuem gordura insaturada, razão pela qual nos ajuda a reduzir os níveis de triglicerídeos e de colesterol total no sangue, reduzindo o risco de formação de coágulos, bem como fazer uma circulação mais fluido; sendo, portanto, um importante aliado na prevenção de doenças cardiovasculares.


Aveia


Além das fibras insolúveis, a aveia contém uma fibra solúvel chamada beta glucana, que exerce efeitos benéficos para o nosso corpo. Esta substância que retarda o esvaziamento gástrico, promovendo maior saciedade, melhorando a circulação, controla a glicemia (açúcar no sangue) e inibição da absorção de gordura (colesterol). A aveia também é outro dos alimentos bons para o colesterol, devido a que diminuem significativamente as concentrações de colesterol ruim, lipídios totais e triglicerídeos e aumenta a fração do bom colesterol.


Sementes oleaginosas


Frutos secos: nozes e castanhas possuem grandes propriedades antioxidantes, responsáveis por combater o envelhecimento celular e a prevenção de doenças do coração e vários tipos de câncer. A Arginina, também está presente nas sementes oleaginosas em quantidades muito representativas, a qual atua como um vasodilatador, contribuindo para a redução do risco de desenvolver doenças do coração.


Chocolate


O leite e a manteiga de cacau acrescentam doses de gordura saturada, ao lado da satisfação de consumir um pequeno e delicioso aperitivo, especialmente se você é mulher. Pode parecer estranho dizer que o chocolate é um dos alimentos bons para o colesterol, mas o chocolate preto pode ser parte de uma dieta saudável, devido ao seu conteúdo em flavonóides (substância presente em alimentos bons para o mau colesterol). Você deve incluir todos os dias, 30 g de este doce como sobremesa.


Azeite de oliva


É uma fonte de ácido oleico , que tem como função regular a taxa de colesterol e proteger contra doenças do coração, já que zela pelo funcionamento correcto do aparelho circulatório e controla a taxa de açúcar no sangue em caso de sofrer de diabetes tipo 2. O azeite de oliva é também uma grande fonte de antioxidantes, como a vitamina e.


Alcachofra


Este é um dos alimentos bons para o colesterol, devido a que as fibras presentes na alcachofra são resistentes à ação de enzimas, é por este motivo que apresentam maiores vantagens como: a redução dos níveis de colesterol e triglicerídeos; menor risco de sofrer de obesidade e diabetes, menos fatores que afetam a saúde do coração. Uma porção de 100 g possui apenas 50 calorias. Sem dúvida, este alimento ajuda a quebrar as gorduras e no controle do colesterol, é muito aconselhável para prevenir doenças do coração.


Laranja


Não só é bom para gripes e resfriados, mas também está entre os alimentos bons para o colesterol. Um estudo realizado pela Universidade de Viçosa, Minas Gerais, e publicado na American Heart Association, concluiu que os flavonoides e antioxidantes presentes na laranja e outras frutas, diminuem os níveis de LDL (colesterol ruim) no organismo, pois limitam a absorção do colesterol no intestino.


Vinho


Promover uma ingestão moderada de vinho (uma a duas bebidas por dia) nos de, aproximadamente, 12% a mais de colesterol bom. Muito semelhantes aos produzidos ao fazer uma prática de exercício moderado. O vinho tinto é um dos alimentos bons para o colesterol, devido a que possui flavanoides, junto às suas propriedades antioxidantes, vasodilatadoras e plaquetas anticoagulantes.


Linhaça


Esta semente é um dos alimentos mais ricos em omega 3, que é responsável pela prevenção de doenças cardiovasculares e a coagulação do sangue, diminuindo as taxas de colesterol total e o colesterol LDL (ruim) e aumentando o HDL colesterol (bom). Os benefícios da linhaça se podem obter, quer que a semente deste moída ou triturada, já que sua casca é resistente à ação do suco gástrico e passa sem sofrer digestão no trato gastrointestinal.


Canela


Os pesquisadores da Universidade do Estado de Kansas, nos Estados Unidos, descobriram que o consumo de meia colher de sopa por dia desta especiaria tem papel importante na luta contra o colesterol ruim (LDL). Os pesquisadores acreditam que tal redução é resultado da ação antioxidante da canela.


Sementes de soja


Além de ajudar a controlar problemas hormonais em mulheres com menopausa, a soja é uma excelente opção para aqueles que querem proteger seu coração, já que nos ajuda a diminuir o colesterol ruim (LDL), aumenta o colesterol bom (HDL) e fortalece o corpo de infecções.


Açaí


Apesar do alto teor de gordura que tem o açaí, também é um dos alimentos bons para o colesterol, devido a que uma grande parte dessas gorduras são monoinsaturadas (60%) e poliinsaturados (13%). Estas gorduras são benéficas e auxiliam na redução do colesterol ruim (LDL) e a aumentar a produção de HDL, ajudando a prevenir doenças cardiovasculares, tais como o ataque cardíaco. Cada 100 g do fruto tem 262 calorias. “A baga do açaí tem gorduras que são boas para sua saúde e, portanto, devem ser incluídos no cardápio, porém, o ideal é consumi-la sem adicionar calorias.


Chá


O Chá é um dos alimentos que controlam o colesterol, especialmente se é a verde, pois os flavonoides, presentes neste tipo de chá, funcionam como poderosos antioxidantes que ajudam a prevenir a inflamação dos tecidos. Estas substâncias também pode nos proteger contra a formação de coágulos no sangue, que são as principais causas de ataques ao coração.

Muitos se fosse questionado quais são os alimentos bociogenos ou goitrógenos , uma vez que estes são termos pouco usados. No entanto, se você tem problemas na glândula da tiróide pode ser que saiba, já que os bociogenos possuem substâncias que podem causar estragos em função da glândula tiróide. O termo Bociogeno deve o seu nome ao termo “bócio”, utilizado para referir-se à glândula tiróide.


alimentos bociogenos ou goitrógenos e a saúde da tireóide.


Os bociogenos é um termo utilizado para referir qualquer alimento que poderia ser a causa de problemas na tireoide. Esta doença é caracterizada por causar uma inflamação na garganta devido à glândula tireoide. Embora hoje em dia é muito raro ver casos como o bócio, ainda existe uma certa preocupação com os alimentos bociogenos, já que alguns pensam que pode colocar em risco a tireoide, mesmo se você não sofre de mal algum. Muitos dos alimentos bociogenos são os vegetais que fazem parte da família das brassicaceae. Estes incluem o brócolis, a couve-flor, couves-de-Bruxelas, couve, agrião, rúcula, maca, rabanetes, daikon, nabos, couve e couve chinesa.


A glândula tiróide é a parte mais importante do sistema endócrino e está localizado no pescoço, debaixo da cartilagem. Em pessoas saudáveis, esta tem a forma de uma borboleta. O funcionamento da tireoide é controlar a resposta do corpo aos hormônios, produz certas proteínas e ajuda no metabolismo da energia.


Além de influenciar na temperatura do corpo, o humor e o metabolismo. Também Produz tri-iodotironina (T3) e tiroxina (às vezes chamado de T4). Também produz calcitronin, substância que tem um papel na homeostase do cálcio. Em outras palavras, é muito importante que está a funcionar correctamente. Para acelerar o metabolismo recomendo o uso de QUITOPLAN!


O hipotireoidismo e o consumo de alimentos bociogenos


Se bem que muitos alimentos bociogenos são considerados como saudáveis, devido a que dão uma grande quantidade de nutrientes na dieta de qualquer pessoa. Aqueles que sofrem de hipotireoidismo devem evitar alguns deles e consumir com moderação outros, já que pode interferir com a absorção do iodo, chegando a colocar em risco a sua saúde.


O iodo como pudemos ver neste artigo é parte fundamental para um correto funcionamento da glândula tiróide. É por esta razão que, em caso de sofrer desta doença, o consumo de alimentos bociogenos, seria atentar contra a sua saúde. Isso se isso só acontece quando se consomem crus. Já que o ser cozidos os alimentos bociogenos não geram desvantagem.


Quais são os alimentos bociogenos


Provavelmente se surpreenda ao ver que são muitos os alimentos comuns podem resultar em bócio, mas a boa notícia é que muitos deles não se devem riscar de sua dieta, já que se consome adequadamente, não tem problema algum.


Produtos com Glúten


O glúten faz parte dos alimentos goitrógenos potenciais, já que sofrer de sensibilidade ao glúten pode contribuir para uma ampla variedade de desordens auto-imunes no organismo, como a doença celíaca. Sabe-Se que a sensibilidade ao glúten pode ir acompanhado de distúrbios auto-imunes, como a diabetes tipo 1, doença de Addison, síndrome de., artrite reumatóide e doença tireoidiana auto-imune.


É por esta razão que recomenda-se a eliminação do glúten de qualquer dieta, especialmente se você sofre de distúrbios auto-imunes. No caso de sofrer de hipotireoidismo auto-imune, deve-se considerar limitar o consumo do trigo, cevada e centeio, ou até mesmo exclua de sua dieta. Também se sugere as mulheres que sofrem de uma doença auto-imune da tiróide considerem ser feitos exames para saber se sofrem de doença celíaca, porque esta pode ser uma das razões pelas quais as mulheres continuam sofrendo com os sintomas do hipotireoidismo apesar de um consumo de hormônios tireoidianos de substituição.

Também lhe recomendamos que leia:Alimentos com colesterol ruim

As isoflavonas da soja


A soja é considerada como um dos alimentos mais saudáveis, no entanto, existem grupos que são demonizado este alimento. O que, se é certo é que uma das preocupações legítimas destes grupos é que a soja possui compostos geradores de bócio, como a genisteína um tipos de isaflavona. Este composto, ao igual que os hormônios da tireoide, utiliza as moléculas de iodo da peroxidase da tiróide.


Alguns pesquisadores sugerem que a genisteína e isoflavonas semelhantes podem competir com os hormônios da tireoide, pela utilização de iodo ou até “bloquear” a ação da peroxidase da tiróide. No entanto, estudos recentes mostram que se tem fontes suficientes de iodo na dieta não deve ter efeitos adversos sobre a função da tiróide. Em todo caso, uma deficiência de iodo não será restaurada com a eliminação de alimentos bociogenos.


A boa notícia é que a atividade bociogeno das isoflavonas de soja pode ser parcialmente desactivada por cozimento ou fermentação. Sendo mais recomendado o consumo de produtos de soja vintage ou fermentados, como o tempeh, o molho de soja, missô e natto. Se você consome alimentos integrais de soja, como o feijão de soja ou tofu, é melhor consumi-los cozidos ou no vapor.


Os isotiocianatos e os legumes cruciferas


Estes compostos estão presentes em vegetais brassicaceae como o repolho, couves-de-Bruxelas, brócolis, couve-flor, folhas de mostarda, couve, nabos e as acelgas. Os isotiocianatos, ao igual que as isoflavonas da soja, parecem causar um bloqueio da peroxidase da tiróide. No entanto ninguém apontaria para os vegetais como ruins para a saúde, já que contém vitaminas, minerais, antioxidantes, e uma grande variedade de nutrientes necessários para a saúde. Em todo caso, os pacientes com problemas de tireoide não devem evitá-los, mas que devem consumi-los no vapor ou cozidos, já que o calor chega a alterar a estrutura molecular dos isotiocianatos e elimina o efeito de bócio.

Também lhe recomendamos que leia:Alimentos que produzem o acne e alternativas para consumir

Os alimentos mais e menos bociogénicos



  • Bok choy

  • Broccoli

  • Couves-de-bruxelas

  • Repolho

  • Couve-flor

  • Couve

  • Swede

  • Mostarda e mostarda

  • Rabanetes

  • Couve-rábano

  • Soja

  • Nabos

Lista de alimentos com menores quantidades de Bociogenos



  • Brotos de bambu

  • Pêssegos

  • Peras

  • Pinhões

  • Rabanetes

  • Espinafre

  • Morangos

  • Batatas doces

Devem-Se evitar os alimentos goitrógenos


Com exceção dos produtos com glúten, os benefícios da soja e legumes brassicaceae são muito superiores às suas desvantagens. Se você sofre de algum problema na tireoide não consumas estes alimentos crus, já que o seu cozimento reduz as substâncias bociogénicos até um terço. Além disso, tenha em mente que o consumo desses alimentos por dia, tem um efeito cumulativo, razão pela qual deve consumi-los com moderação, especialmente se você sofre de problemas na tireoide.


Também temos que compensar seus efeitos consumindo alimentos com iodo, junto com eles e se você sofre de qualquer problema na tireoide você deve consultar com seu meio sobre a sua dieta.

Os alimentos de baixo colesterol devem estar incluídas em nossa dieta alimentar, especialmente quando sofremos de doenças, como o colesterol, a fim de ajudar na prevenção de males cardiovasculares, sendo este, por sua vez, um dos modos para proteger o nosso coração.


alimentos de baixo Colesterol e sua importância


No entanto, também devemos fazer você se lembrar que nem todo o colesterol é ruim, já que existem dois tipos de colesterol; o hdl ou bom colesterol e o ldl, ou mau colesterol, sendo o hdl, que ajuda a reduzir o colesterol ruim, mas esse tema já vimos anteriormente, e você pode conferir nos links fornecidos neste parágrafo.


Agora você deve saber que quando falamos de alimentos de baixo colesterol nos referimos principalmente em mau colesterol, sendo este o que prejudica consideravelmente a saúde de nosso sistema cardiovascular.


Um dos problemas no momento de querer detectar esta doença é que, por se tratar de uma doença que não apresenta sintomas, somente pode ser conhecida, uma vez realizada uma análise de sangue, após o seu resultado será necessário começar a implementar mudanças nos hábitos alimentares, evitando os que possuem uma grande quantidade de gordura em sua composição.


Alimentos a incluir na dieta


Por exemplo, o peito de frango ou de coelho, carne de cavalo, do boi e da carne (cortes magros), o iogurte e o leite semidesnatado, o bacalhau e a pescada contam com um aporte muito baixo teor de gordura. Considera-Se que têm entre 10 e 90 mg, portanto, podem fazer parte da dieta habitual de forma equilibrada.


As sardinhas e carne


A sardinha é um alimento saudável, com um poder cardioprotector graças a sua composição de gordura saudável (ômega 3), os quais ajudam a reduzir o nível de colesterol e triglicéridos. Além disso, trata-se de uma carne, que ajuda a evitar que se formem coágulos de sangue. As que apresentam uma maior percentagem de estas gorduras são as sardinhas do Cantábrico. Agora, o fresco ou em lata? As sardinhas em lata com óleo também contam com um poder benéfico para a prevenção de doenças cardiovasculares, mas não tão poderoso como o de as frescas, mas devemos ressaltar que nos fornecem cálcio, sobretudo quando se trata de sardinhas maduras e de mais de dois anos porque se podem comer seus espinhos. As frescas podem ser cozido em azeite, isto é comê-las fritas em azeite de oliva e inclusive podem ser previamente enharinadas no caso em que aumenta a sua ingestão calórica.

Também lhe recomendamos que leia:Alimentos de verão e as razões importantes para consumi-las

Quanto ao consumo de carne de aves deve ser cozinhada e comida aviso para retirar a pele.


Legumes e frutas


Os legumes e as frutas NÃO contêm colesterol, pelo contrário, são alimentos ricos em fibras, eles são saudáveis par incluir em qualquer dieta equilibrada.


Devem ser incluídas as maçãs, frutas cítricas, frutas vermelhas, as bananas, já que essas frutas ajudam na prevenção de doenças vasculares cerebrais e cardiovasculares.


Sementes e frutos secos


As sementes, as nozes e alguns óleos são bons para o coração, entre eles o de milho, de canola, de amendoim e de girassol, além da necessidade da ingestão moderada de nozes, avelãs e sementes de sésamo como sementes.


Azeite de oliva


O azeite de oliva ajuda a evitar a redução do nível do HLD e, além disso, impede que se oxide o LDL, graças ao seu alto teor de compostos fenólicos, vitamina e e antioxidantes.


Laticínios


Quanto ao leite, é conveniente escolher a sua variedade desnatado ou semi-desnatado, sobretudo, quando se costuma ingerir uma quantidade alta. Além disso, é importante escolher esta mesma variedade em todos os produtos lácteos e, por sua vez, também é aconselhável escolher leite enriquecido com ácidos gordos ómega 3.


Legumes


O consumo de leguminosas, tais como feijões, lentilhas, grão-de-bico e feijão deve ser aumentado, como também deve ser aumentada com o consumo de cereais e legumes, como abobrinha, abóbora, cenoura, couve-flor, repolho, beterraba, acelga, alface, pimentão, espinafre, alho, cebola, aipo, acelga, além de cevada e trigo, como alimentos de baixo colesterol para prevenir doenças cardiovasculares.